terça-feira, 3 de março de 2015

Um poema de acordar memórias

Entre todas as coisas maravilhosas que aconteceram na Paulinas na semana passada, essa me pareceu a principal. A proposta era escrever lembranças em tiras de papel.  Palavras motivadas pelo saco de brinquedos, lembram? As tiras foram dispostas no chão formando um labirinto. A brincadeira era buscar palavras para a construção de um texto e, depois da leitura, os grupos foram colher palavras.
Isso, simples assim.
E a turma entrou na brincadeira. Além da construção poemas de arrepiar, acordaram lembranças, memórias, palavras e, principalmente, a criança que a inda mora( e sempre vai morar) dentro da gente.
Esse foi o encantamento daquela hora: podemos nos lembrar de nós mesmos.
E ainda oferecer leitura da boa para esse menino que nos habita. O Poema motivador deste trabalho chama-se TODO LIVRO É UM LABIRINTO de Adriano Bitarães Netto.
Valeu pessoal. Até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário