terça-feira, 13 de agosto de 2013

Só para si

Dona Cômoda tem três gavetas. E um ar confortável de senhora rica. Nas gavetas guarda coisas de outros tempos, só para si. Foi sempre assim, dona Cômoda: gorda, fechada, egoísta.

Esse poema é do Mario Quintana e faz parte do livro Sapo Amarelo. O Antônio Vasques fez uma ilustração muito bacana e convidou uma galera para construir os objetos que a Cômoda guarda. Uma belezinha.

Enquanto não tenho o desenho do Antônio para mostrar aqui, resolvi exibir outras, que parecem não ser tão egoístas. Até viraram arte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário