terça-feira, 9 de agosto de 2011

"Boka fitava com gravidade a própria carteira, e na sua alma de menino pela primeira vez vislumbrou uma vaga ideia do que é, afinal, a vida, da qual todos somos os soldados e os servidores, ora tristes, ora alegres."
(Os meninos da Rua Paulo-Ferenc Molnár)

Esta é a última frase do livro que mais marcou a minha vida de leitora na infância. E só agora, por esses dias, pude entender direitinho do que falava esse autor maravilhoso.
Li tantas vezes e em momentos tão diferentes o mesmo livro que é como se morasse em mim. A vida é mesmo um lugar maravilhoso para se passar os dias. E com um livro desses ao lado, nem se fala.

Se pudesse dar um conselho seria: procure um livro para chamar de seu. Ele nunca te deixará sozinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário