domingo, 17 de julho de 2011

Dois finais

Final I

Como recolher todas as peças? Era realmente uma missão e tanto. Uma missão quase impossível.
Nessa hora um grande avestruz chamou a atenção do gigante. O pescoço comprido e cheio de marcas estranhas. O gigante desconfiou e foi falar com o avestruz:
-Tudo bom avestruz? Como tem passado o senhor? parece um pouco abatido, meio doente.
- Andei comendo umas coisas esquisitas e anda com uma brutal indigestão. Olhe as marcas no meu pescoço.
O gigante reconheceu algumas marcas. era relevos de oparafusos, engrenagens, peças da sua máquina de pão. Derrepende o avestruz começou um soluço. cada vez que soluçava uma peça saía da sua boca.
o gigante juntou uma a uma e começou a reconstruir a sua máquina. Depois do último soluço notou que ainda faltavam muitas peças.
-parece que outras aves també estão com essa mesma doença.-disse o avestruz e começou a chamar todos os pássaros com o seu canto.
Veio a cegonha, o marreco e até o pinguim. caa um com uma peça entalada e um soluço diferente.
A cegonha voou por todas as partes do mundo procurando alguém com soluço e conseguiu recuperar todas as peças. No final da história o gigante fez um pão muito especial e ofereceu para todos os pássaros da terra.



Final II


Depois da grande explosão o gigante começou a diminuir progressivamente. Ficou muito assustado. Queria pemanecer grande. Estava acostumado a ter aquele tamanho. Sabia que precisava do fermento para voltar a crescer. Resolveu ir atrás de todas as peças mesmo sem saber onde elas tinham caído.
Ele não descansou até encontrar o último parafuzinho.
Nesse dia fez um pão tão gostoso que seu perfume percorreu todas sa nuvens que se ofereceram para fazer companhia ao gigante.
Parece que ele aceitou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário