quarta-feira, 29 de junho de 2011

Descobertas Poéticas

Foram muito bacanas esses últimos dias gelados e cheios de calor poético. Nem a geada e o campo branquinho do amanhecer deixou essa turma de professores e estudantes congelados nas suas ideias e criatividade. Foram omento intensos, cheios de descobertas e diversão. A teoria brincou nos nossos olhos e os conceitos pularam das páginas ganhando vida em cada atividade realizada.
Abaixo estão amostrinhas valiosas desses momentos:

O Peixe

Anzol que brilha ao sol
faca na mesa
Lágrima do peixe

MIlton Barichello, Patrícia Martins, Dilene Amaral

Quadro Negro e giz
Oquadro negro na verdade é verde
ele se enche de utilidade
quando o giz, na sua suavidade,
passa a matéria que a turma
vai aprender
o giz posso usar, no muro, na calçada
enquanto o quadro, não uso
uso pra nada.

Débora Arnold

Até que enfim, Mariana,
você me viu aqui
a volta tranquila
boca ocupada
e coração feliz!

Claudia Adriane Ribas

dos medos mais banais
como o contato com um sapo
aos medos mais profundos
como o de não mais existir
todos parecem mais fundos
quando o escuro chegar.

Marcia Elisa Boelter

Lápis de cor e canetinha
quem pode mais?
Uma risca e o outro vai atrás!
Pintando, pintando, preenche o desenho
casamento perfeito?
É assim que se faz?
Afinal, quem pode mais?

Carla Romualdo Carvalho

E, para entrar no clima, calma, que amanhã tem mais.
Com fotos se o computador ajudar.
Até

Nenhum comentário:

Postar um comentário