quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Continho pra não perder a prática

Lugar de poeta

O rosto de Gabriela Mistral virou pedra. A tristeza fez do olhar um véu no passeio público. Neruda passeia com olhos plenos no horizonte de água, numa dança de vento, areia e sal. O tempo pára pra escolher entre rochedos e ondas. Já não importam as palavras. Os poetas se encontram no finais de tarde quando a luz colore o ar com tons de poesia e brisa, e escorrem versos pelas cordilheiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário