terça-feira, 4 de maio de 2010

Picada Café












"Trabalho, cortesia, nobreza de ideais,
decência, disciplina, fé, ternura.
Atávica alegria dos nossos acentrais
são traços que compõe nossa cultura."

Com esses versos, Marco Aurélio Vasconcelos encerra o Hino que compôs para o município de Picada Café. Não sei se ele tinha consciência ali, em 1994, dois anos depois da emancipação, o quão verdadeiras e próximas da realidade eram as suas palavras. Que população sensacional e boa de conviver. Nesse dia em que passei por lá e conheci crianças, adolescentes e adultos, vi o quanto a cultura passada faz parte do cotidiano e gente que guarda as lembranças como um tesouro é sempre gente que merece o respeito de todos. Além disso, gente que preserva o patrimônio e exalta a produção cultural, forma leitores, forma platéia e investe em pessoas que gostam do que é construtivo e belo, é digna de aplauso.
Essa gente que conheci naquele dia é assim: sem alarde ou exibicionismo, vão construindo um mundo diferente onde cada um tem um papel especial. O coletivo se faz com cada olhar, cada sujeito que quer falar, ouvir, sentir. Foi um dia incrível.
Picada Café é um daqueles lugares que fazer a gente voltar a acreditar no futuro.
Minha gratidão especial à Nóia Kern que confiou em mim para me apresentar pessoas tão especiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário